Girl in a jacket Girl in a jacket Girl in a jacket Girl in a jacket Girl in a jacket

JetSmart

Joaquín Alvarez

Smiley face

. Quando jovem, depois de terminar os seus estudos, estabelece-se definitivamente na Península Roca, de onde a sua família extraía madeira de cipreste e faia austral para fornecer a povoação de Puerto Natales, o frigorífico Puerto Bories e as fazendas pecuárias. Primeiramente envolve-se na reparação de lanchas e barcos de madeira, iniciando prontamente a construção do que seria a emblemática embarcação “21 de mayo” em que se fariam as primeiras viagens de turismo às geleiras e ao Monte Balmaceda. Na década de 1950, enquanto acompanhava membros da polícia de Puerto Natales para fazer um censo no fiorde da Última Esperança, Joaquín Álvarez ficou maravilhado com a beleza do Monte Balmaceda e seus gigantescos glaciares Balmaceda e Serrano. Naqueles anos, o imponente Balmaceda descia pelo monte homónimo desde o seu cume até ao mar, estendendo-se inclusivamente por cerca de trezentos a quatrocentos metros por cima das águas do fiorde. Era um cenário natural surpreendente que enchia o lugar de icebergues monumentais. Por sua vez, a geleira de Serrano, com a sua majestosidade e paisagem deslumbrante, terminava na lagoa atingindo a moreia adjacente a Puerto Toro. A beleza da paisagem e o seu entusiasmo empreendedor, motivaram-no a terminar a construção do "cuter 21 de mayo", que, a partir de 1965 começaria a fazer as primeiras viagens turísticas. Por fim, depois de várias décadas realizava-se o sonho que tinha tido um dia o visionário padre salesiano Alberto de Agostini. Com o passar dos anos e a modernização, as antigas lanchas de madeira tornaram-se barcos metálicos a motor construídos no seu estaleiro de Puerto Bories e hoje em dia vários catamarãs com tecnologia de ponta para cruzar as águas do fiorde da Ultima Esperança. "60 anos atrás, chamaram-me louco por querer mostrar ao mundo essas maravilhas. Hoje, Puerto Natales e a Patagonia cresceram e desenvolveram-se graças à atividade turística. Eu acho que não deveria estar arrependido ... Eu convido você a conhecer este distante recanto chileno, que mantivemos com esforço, sacrifício e tenacidade com os meus filhos e netos."

Paola Goic

Smiley face

. Aqui leva uma vida em contacto com a natureza e na sua casa nos arredores da cidade cuida dos seus cavalos e seus cães, quando não está no Parque nacional Torres del Paine. Precisamente, este parque nacional foi o que a atraiu para o destino, quando há anos atrás chegou pela primeira vez para trabalhar como guia turística num hotel vizinho da reserva, depois em outro e assim foi ficando. Estudou no liceu Maria Auxiliadora, de orientação católica, tradução para inglês e turismo. Conheceu outras realidades no Reino Unido através de um programa que a levou ao País de Gales, para estudar a gestão de parques nacionais e foi assim que em Puerto Natales e em zonas vizinhas ao Parque Nacional Torres del Paine, desenvolveu vários projetos de turismo com empresários locais, como o complexo Pingo salvaje em Lagoa Sofia ou o Pampa Lodge no setor Serrano, Torres del Paine. Atualmente prepara a abertura de um campus universitário para estudantes norte americanos que se focará no estudo do aquecimento global e das mudanças climáticas. "Somos natureza, aventura, cultura, tradição e história. Convido-os a descobrir todos os recantos deste maravilhoso destino que tem muito para surpreender seus visitantes".

Jorge Canales Helmer

Smiley face

Nacido en Puerto Natales, Jorge es desendiente de colonos alemanes que se asentaron en la zona paradesarrollar la ganadería, único sustento en los terriorios de Última Esperanza a principios del siglo XX. Hoy endía emprende en las mismas tierras que administró su abuelo Ernesto Helmer Grudnig, quien llegó comocapataz de la histórica estancia Puerto Consuelo. En 1976 adquieren terrenos que antiguamente formabanparte de la Sociedad Explotadorade Tierra del Fuego, en este lugar poseen un sendero que recorre 10 km enlas faldas del Cerro Benítez, importante desde el punto de vista patrimonial pues alberga el conjunto decavernas que conforman la reserva monumento natural Cueva del Milodón. Aquí Jorge junto a su familia los reciben para disfrutar de una jornada de actividad física al aire libre. Al mismotiempo podrán aventurarse a descubrir y admirar los misterios que sus aleros, cuevas y paredes hanpreservado en el paso del tiempo. Con pocos pasos recorridos, se hace posible entrar en contacto con losvestigios de los primeros habitantes y fauna extinta en tiempos remotos, pinturas rupestres y más de 100 añosde excavaciones científicas, han sacado a la luz conocimiento sobre los primeros asentamientos y sus fogatas,restos de milodón, panteras negras, dientes de sable y mucho más. Para los amantes de la naturaleza, el lugar posee vistas panorámicas de la comarca donde destacan losfiordos de Última Esperanza y Eberhard, laguna Sofía, el cerro Queso y los cordones montañosos del Prat,Moore y la sierra Señoret, bosques de lenga y ñirres. En el mismo cerro Benítez por donde pasa el senderohay muchos nidos de cóndores y águilas moras que se observan todo el año, más de 45 especies de aves,flora endémica, gatos monteces y pumas, principalmente en invierno. “Los invitamos a vivir una experencia única y diferente en nuestra lugar arqueológico, paleontológico y geológico. Con una caminata de mediana intensidad le damos la bienvenida a poder disfrutar una entretenida aventura, gracias a la gran variedad de flora, fauna y hermosas vistas”

Hector Díaz

Smiley face

Nació en Puerto Natales pero a sus cortos 3 años junto a sus padres y hermanos se establece en la localidad kawésqar de Puerto Edén donde vivió por 12 años. Este niño, hijo de un carabinero tuvo una particularinfancia entre los fiordos, canales y las tierras de los primeros habitantes canoeros australes. Los constantesviajes en barco entre Puerto Natales y Edén lo definieron como persona, ya de jóven y de regreso en suciudad natal se convierte en un amante de la naturaleza, primero como pescador artesanal desde los 14 añosy dos años despues comienza a recorrer el parque nacional Torres del Paine como guía de turismo. Estudia ecoturismo y junto con sus pares fundan la asociación gremial de guías locales de Puerto Natales. Supasión vinculada a la exploración de los territorios kawésqar lo acercan al conocimiento y cuidado de labiodiversidad de la Patagonia, ha tomado diversos cursos de primeros auxilios en lugares remotos, y otros de búsqueda y rescate. Lleva más de 11 años explorando el Fiordo de las Montañas, que no hace mucho pasó aconstituir parte del Parque Nacional Kawésqar. Héctor ha tenido que ver mucho con el desarrollo de laactividad turistica en el sector, pues ha definido rutas y marcando puntos, ha levantado refugios flotantes yconexión marítima. Hoy en día es tour operador local, del nuevo circuito de trekking que une doscampamentos y su refugio flotante, se posiciona como una alternativa a los circuitos de montaña del ParqueNacional Torres del Paine, con atracciones como el Glaciar Bernal, las montañas del Grupo la Paz y las vistasde la Cordillera Sarmiento.“Conoce nuestra ideología de mínimo impacto y de conservación. Ven a disfrutar la belleza paisajísticadel fiordo de las Montañas y a comprender el conocimiento ancestral de los antiguos canoeroskawésqar”

Nathalie Reffer

Smiley face

Conversando com seus clientes ela compreendeu que a cozinha chilena em geral tem sabores muito homogéneos, que quis fortalecer com condimentos africanos e da cozinha da India, sendo uma das primeiras propostas de cozinha de fusão e gourmet da nossa cidade. Vendo a concorrência como algo positivo, juntamente com os seus colegas gastronómicos decidiu criar uma associação gremial com objetivos como aumentar a oferta de produtos locais e fazer crescer a procura e o consumo destes, incentivar a cooperação entre produtores, fornecedores e empresários, resolver necessidades de fornecimento de produtos, como é o caso do cordeiro e o caranguejo, que são principalmente produzidos para exportação. Era essencial devolver a mão para a comunidade local por todas as portas que lhe tinham aberto neste lugar tão remoto do Chile. "Convido-os a visitar Puerto Natales, para conhecer sua riqueza gastronómica com produtos premium como o cordeiro, o caranguejo, as vieiras e os ouriços do mar. Produtos de luxo que podem provar in situ em várias formas e propostas, gourmet ou caseiros, com variedade para todos os gostos e orçamentos"

Fideliza Vargas

Smiley face

Proveniente de uma família de artesãos, aprendeu de menina a usar o tear e a tricotar e um pouco mais à frente encontrou o seu caminho com o desenvolvimento de artesanato de madeira, lã e outros materiais que abundam na região. Nos seus primeiros anos em Puerto Natales dedicou-se a formar e treinar outras mulheres artesãs ou empreendedoras, através das oficinas paroquiais, promovidas naqueles anos pela diocese e utilizando outros instrumentos do Estado para a promoção da produção e do empreendedorismo. Elas deram os seus primeiros passos oferecendo seus produtos aos novos hotéis que foram abrindo em Puerto Natales e depois exportando para a Alemanha. Desde 2002 e em conjunto com o município criaram a vila artesanal Etherh Aike, onde se concentra uma grande parte dos artesãos locais, que desenvolvem produtos com base em lã, couro, madeira, barro e outros materiais. Nos trabalhos da senhora Fideliza abunda a lã cem por cento natural de ovelhas locais, que combina com outros materiais, como madeira que recolhe nas praias e musgo. A lã é processada por ela desde a lavagem e fiação até à aplicação de corantes para confecionar trabalhos onde abundam temáticas locais, como as culturas Kawesqar, Aonikenk e Selknam, e atributos naturais da paisagem do Oeste Patagonico como árvores, montanhas e as próprias ovelhas. "Estamos na aldeia artesanal de Puerto Natales, todos os artesãos que trabalham a lã, a madeira, o couro e o barro. Todos estão convidados a vir a Natales e descobrir a nossa oferta artesanal que é tão diferente ao que se encontra em outros lugares. Resgatamos a nossa flora, a fauna e a história."